Verão europeu é uma loucura. Acredito que no Rio, de maneira geral ou igual é só para mim, a gente vive o verão, mas sua chegada não parece tão tão significante quanto me parece aqui no Norte. É que de um dia para outro todas as vitrines mudam, as cores predominantes no inverno desaparecem das lojas e das ruas como num piscar de olhos.

Como comentei em posts anteriores, as ruas são invadidas e os guiris estão em maior número que os locais. Por certo, os Barcelonins têm uma rota de fuga preparada, especialmente para essa temporada. Não há nenhum dado científico sobre isso, mas 2 entre 3 catalães que eu conheci têm uma segunda casa fora da cidade. O lugar favorito é a região da Costa Brava.

Como cidades turísticas catalãs, destaco uma que me encantou,  que fica na  província de Girona . Figueres, é uma  cidade  é bem pequena, mas que têm seu charme, além dos passeios das praias do em torno, têm o Museo Dalí que é um museu totalmente projetado por Salvador Dalí. É realmente impressionante! Não vou estragar a surpresa de quem tem a intenção de ir. Mas, confesso que foi a minha experiência com arte mais marcante. Dizer que foi surreal seria reduntante? Ao lado do museu principal, têm outro somente com as jóias projetadas por ele, como essa aí ao lado. Uma faceta que eu não conhecia e que é realmente impressionante, já se pode imaginar, afinal há um museu dedicado a elas.

Ao lado de Figueres têm um pueblo chamado Port de la Selva. Entre o Parc Natural de Cap de Creus e o mar, se encontram praias desertas de um transparente absurdo. Também nesse pueblo, se pode fazer passeios a montanha e visitar o Monastério de Sant Pere de Rodes, que têm algo em torno de 1.200 anos (!!!).  No verão é possível fazer visitas noturnas a esse mosteiro no topo da montanha. Eles intitulam a visita de “Spiritus”. Claro que eu fugi, afinal, não me animou subir uma estradinha deserta na beira de um precipício pra ver fantasmas pré-românicos. Mas, achei super legal como administração do mosteiro usou das lendas locais para criar uma atração turística ali.

A melhor maneira de chegar a esses destinos é alugando um carro. Desde Barcelona, recomendo a pepecar, que é a empresa mais barata e mais “boa de jogo”. O caminho é super bem sinalizado e se demora menos de duas horas pra chegar em Figueres. 

Uma vez estando ali, uma esticadinha até o Sul da França sale super posible. Aproveitar para ir a Colliure é quase uma obrigação, se pelo caminho não acontece de se perder, em uma hora desde Figueres se chega ali. É um povoado super romântico. A frança catalã, com praias paradisíacas, castelos que terminam no mar e onde é possível tomar sangria com croissant sem parecer estranho. Onde Espanha e França se misturam e, arrisco dizer, com o melhor de cada país.  l

Ou seja, que os locais de Barcelona sofrem com a invasão da cidade, mas, sabem muito bem para onde fugir nos dias de calor. Como acontece aí, o engarrafamento nas sextas e segundas são gigantes, para quem vem de férias a dica é aproveitar para ir durante a semana e se preparar para o Sol que só se põe às 22h. No mais, a desfrutar o verão!

Annanda Galvão
Annanda Galvão Ferreira da Silva têm quase tantas profissões quanto sobrenomes: designer de moda pelo SENAI/Cetiqt, Produtora Cultural pela Universidade Federal Fluminense. Cursou Gestão Cultural na Universidade Lusófona de Lisboa e foi investigadora pelo CNPQ-Pibic na Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) em Políticas Culturais, sendo seu artigo “A visão do Conselho Federal de Cultura sobre as artes popular e erudita” premiado na V jornada de iniciação científica da FCRB e também pela Gerência de Cultura da Escola Sesc de Ensino Médio (2012). Mestre pela Universitat de Barcelona onde cursou o mestrado “Construção e Representação de Identidades Culturais”. Atualmente é aluna do programa de doutorado em Estudios Migratorios da Universidad de Granada, onde continua estudando as migrações a luz das políticas culturais. Tendo atuado em diversas áreas da produção e gestão cultural, realizou instância de colaboração no departamento de conteúdo do teatro do governo espanhol e catalão Mercat de les Flors, tendo coordenado o projeto "Trocas - formació i dansa" de intercâmbio entre entidades espanholas e brasileiras, foi também colaboradora e palestrante do IPAM - International Performes Arts Meeting que acontece dentro do Festival Grec em Barcelona. É professora de elaboração de projetos culturais do curso de formação de agentes culturais dentro do Programa Favela Criativa da Sec-rj gestionado pelo Cieds. É idealizadora de projetos nas áreas de cinema, arquitetura e educação. Apaixonada por viagens, carimbos no passaporte, museus, livros e pessoas , é curiosa por natureza e espera mostrar um pouquinho do que têm visto mundo a fora para os leitores do TagCultural.

DÊ SUA OPINIÃO