foto: Renata Mello. Paris, França

Estava eu fazendo um trabalhinho pra pós e me deparei com os dados do TripBarometer, o bracinho de pesquisas do TripAdvisor – um dos maiores sites de turismo do universo. Nessa pesquisa, que mostra as principais tendências de viagem para 2016, eu descobri coisinhas muito interessantes e vou mostrar pra vocês no artigo de hoje.

Nota para o meu professor do MBA: adaptei o artigo que escrevi pra aula, então se parecer familiar… era pra ser mesmo.  🙂

foto: Red Werneck. Curaçao
foto: Renata Mello. Curaçao

Todo viajante está em busca de uma nova experiência em sua viagem. Desde simplesmente conhecer um novo lugar até fazer uma imersão completa em outra cultura, a experiência é o que fala mais alto. Por isso, para 2016, a previsão é de que cerca de 69% dos viajantes faça as malas em busca de alguma experiência única, que nunca tenham tido até então, mesmo que já tenham viajado anteriormente. Desses, 17% desejam viajar sozinhos pela primeira vez.

Parece que as pessoas entenderam que viajar é investimento, não gasto. Daí um aumento de 33,33% no número de viajantes esse ano, pessoas buscando experiências únicas.

foto: Lucas Bühring
foto: Lucas Bühring. Havana, Cuba.

O avanço das telecomunicações influencia diretamente no perfil do viajante em 2016. Muitos turistas escolhem seus destinos por terem visto documentários, filmes ou outros produtos audiovisuais sobre aquele determinado local. Incluindo novelas. Depois de Salve, Jorge, cresceu muito o número de brasileiros querendo conhecer a Turquia. O mesmo serve para Caminho das Índias e aquelas trinta mil novelas sobre a Itália.

Outro fator decisivo na escolha de estadia é a oferta de conexão com a internet: 46% dos viajantes consideram imprescindível ter internet wi-fi no quarto, dos quais 11% estão dispostos a pagar pelo serviço caso seja cobrado. Ou seja, nós precisamos nos conectar. Temos que salvar pontos de interesse no Maps, ler opiniões sobre os locais que queremos visitar, dar notícia pra família, atualizar as redes sociais, avaliar – em tempo real – as nossas experiências e postar postar postar [posto logo existo].  Deixo aqui uma reflexão: por que você precisa de wi-fi no seu quarto de hotel? Pode responder nos comentários.

Mas não pense que tudo são flores. De olho nessa movimentação toda de viajantes pelo mundo, o setor hoteleiro está disposto a aumentar suas tarifas, seja em função do perfil de hóspedes que recebe ou das reformas que já anda fazendo pra atrair um público de poder aquisitivo mais elevado. “E o mochileiro fica como?” – você se pergunta. Eu respondo, a gente (jovens entre 20 e 30 anos) tem uma tendência a buscar acomodações alternativas, seja em albergues, alugando pequenos apartamentos ou mesmo quartos no nosso querido Airbnb. Isso sem falar no couchsurfing – e nos mochileiros nível hard que dormem em aeroporto, mesmo, e é isso aí.

foto: Diogo Mello
foto: Diogo Mello. Oslo, Noruega.

Outra mudança de postura do setor hoteleiro é a preocupação com a gestão de reputação online, ou seja, uma tendência dos estabelecimentos se preocuparem com a sua imagem virtual, seja em sites próprios, perfis em sites de avaliação, como o próprio TripAdvisor, ou redes sociais. Esse aumento se dá devido ao crescimento das avaliações e interações dos usuários em suas redes. Com maior presença online, os estabelecimentos melhoram seu relacionamento com o cliente e se posicionam frente aos concorrentes.

E aqui vai uma dica: nós, seres humanos, temos uma tendência ~maravilhosa~ de só lembrar e falar das coisas que não nos agradam. Não seja tão amargo, não avalie somente as suas experiências ruins. Seu feedback positivo ajuda não só a empresa que você está avaliando a entender o perfil dos seus consumidores e melhorar a interação com o cliente, mas também ajuda o amiguinho que vai viajar depois de você a programar melhor a sua viagem. Seja um cara legal. E lembre: você pode ser o amiguinho que vai viajar depois de alguém.

Por fim, é perceptível uma alteração nos roteiros. Leste europeu, Oceania, Ásia e América Central, com destaque para Cuba, são tidos como tendências de destinos para este ano. Os viajantes estão em busca de experiências únicas, contato com a natureza e, ao mesmo tempo, conectividade em tempo real.

foto: Gabi Esteves. Bancoque, Tailândia.
foto: Gabi Esteves. Bancoque, Tailândia.
Renata Coelho Soares de Mello
Produtora cultural. Fotógrafa. Metida a poetisa. Exploradora. Curiosa. Criativa. Renata é daquelas que faz tudoaomesmotempoagora. Uma de suas maiores paixões é cair no mundo. Aproveita suas viagens pra absorver outras culturas e aprender como as pessoas se relacionam com suas cidades. Formada em Produção Cultural pela UFF, atuou em diversos segmentos até descobrir que seu caminho era empreender. Hoje, pós-graduanda em Turismo na UFF (sua segunda casa), está à frente do projeto Explore Niterói e vai compartilhar um pouco das suas pesquisas sobre turismo cultural, cidades e pessoas. Prontos pra fazer as malas?

DÊ SUA OPINIÃO