Essa semana foi uma semana importante para os irlandeses, foi o dia de São Patrício. Quando todos vão às ruas ver as passeatas, bebem, se divertem, bebem, cantam, dançam, se fantasiam, bebem… hehehe. É uma das principais festas da Irlanda. Berlim tem seu jeito próprio de homenagear esse dia e os irlandeses: um festival de cinema.

Shebeen Flick nasceu na Irlanda em 2010, no melhor estilo irlandês… dentro de um Pub. Logo migrou para Berlim e é parte das comemorações de São Patrício na capital alemã. A curadoria traz o que de melhor está por vir no cinema e que possivelmente não entrará em cartaz. Ao lado de clássicos do cinema irlandês, animações e curtas.

Toda exibição é aberta com um curta e um longa. Pude conferir alguns dos 6 filmes da mostra, dos que tive a oportunidade de ver 3 abrem os olhos do espectador através do ponto de vista de pessoas de faixas etárias distintas, em ambientes por vezes incômodos ou novos e por reforçar o olhar humano sob o mundo.

Older than Ireland é um documentário que capta a essência de idosos centenários. Desde seus depoimentos, onde contam distintos momentos de suas vidas ou o segredo da longevidade e até mesmo um pouco de história. Os documentaristas acompanham seus entrevistados e mostram um pouco de suas vidas. A beleza no olhar de pessoas que viveram em distintas épocas e que não perdem a jovialidade no olhar sob as coisas.

I Used To Live Here por outro lado, mostra o oposto. Não um olhar sob a vida, mas sob a morte. Este é uma fiçção que se centra na adolescente Amy e a repercussão de um suicídio em sua comunidade.

E para finalizar, Lost in The Living.  Oisín é um músico irlandês, em Berlim com sua banda. Entre um gig e outro ele conhece Sabine, uma jovem berliner. O longa consegue captar a essência da capital e mostrar, por vezes a inocência do estrangeiro numa capital como Berlim. Sua aventura com Sabine leva os espectadores ao desconhecido mundo berliner. Esqueça os livros de viagem, e mergulhe em Berlim através do cinema. E você inclusive pode se perder vivendo.

Shebeen Flick é mais um movimento importante para a difusão da cultura irlandesa e do audiovisual, que infelizmente no Brasil é conhecida por alguns filmes de comédia. Nos festivais podemos conhecer distintas realidades, culturas e processos de produção de países estrangeiros. Por isso, fiquem ligados na programação dos próximos festivais de cinema no Brasil. Com certeza estarão recheados de filmes indies e de novas narrativas.

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura

Thais Nepomuceno
Fã efusiva do cineasta Alexander Payne, cultiva um sonho cinematográfico: um dia, John Cusack aparecer na janela de seu quarto, segurando um boombox no alto, tocando "In Your Eyes" (assim como no filme "Say Anything"). Thais Nepomuceno é produtora cultural, com especialização em cinema. Durante um ano estudou produção cinematográfica na ESTC em Lisboa, onde produziu o curta-metragem “Chronos” da diretora portuguesa Joana Peralta. Antes de sua formação no exterior, Thais já havia colaborado em sites de cinema, participado de curadorias em cineclubes e estagiado na TV Brasil. Foi quando dirigiu e produziu o curta-metragem "A View To A Kill - the Director's Cut". O filme já participou de festivais universitários e exibições em cineclubes. Esta pequena produção, com custo zero, feito a partir da colaboração de seus amigos é uma grande brincadeira com os clichês do terror adolescente; auto-definido como freshy trashy movie. Atuou na coordenação de pós-produção da TV Globo e agora está realizando seu mestrado em Formatos e Conteúdos Audiovisuais, na Universitat de Valencia (Espanha). E não fale mal do Leonardo Dicaprio perto dela.

DÊ SUA OPINIÃO