SABOR DA VIDA de Naomi Kawase foi escolhido pelo público da 39ª Mostra Internacional de Cinema como o “Melhor Filme – Votação do Público”, recebendo o prêmio na festa de encerramento da Mostra em São Paulo este mês. SABOR DA VIDA, estreia no dia 3 de dezembro em circuito comercial e começou sua carreira em festivais durante o Festival de Cannes desde ano onde foi o filme de abertura da Mostra Un Certain Regard.

O filme é uma adaptação do livro AN de Durian Sukegawa, publicado em 2013 no Japão. Naomi conta que Durian participou de um de seus filmes (Hanezu – 2012) como ator e que na viagem para o Festival de Cannes, no qual o filme foi selecionado, ele contou brevemente sobre a história de AN. A diretora após ler o livros, ficou atraída pela “forma como ele cuidadosamente traça a presença do “que é invisível” na vida.”

O longa conta a história de Sentaro, que dirige uma pequena loja que serve dorayakis – panquecas recheadas com pasta de feijão vermelho doce (conhecido como “AN”). Quando uma senhora de idade, Tokue, se oferece para ajudar na cozinha, ele relutantemente aceita. Mas Tokue prova ter um toque de mágica quando se trata de fazer “an”. Graças à sua receita secreta, o pequeno negócio logo floresce … E com o tempo, Sentaro e Tokue abrem seus corações para revelar velhas feridas.

Naomi ainda declarou:

“Nossa sociedade nem sempre está predisposta a deixar os nossos sonhos se tornarem realidade. Às vezes, ela engole as nossas esperanças.

Depois de saber que Tokue está infectada com lepra, a história nos leva a uma busca pela essência do que nos torna humanos. Como diretora, eu tenho a honra e o prazer de explorar diferentes vidas através do cinema, como é o caso com este filme.

Ao revelar a mecânica complexa desta sociedade eu espero promover uma compreensão da própria essência da existência.

SABOR DA VIDA é o encontro de duas almas que se unem para enfrentar os obstáculos da vida. Quantas vezes temos de ser derrubado antes de podermos alcançar o paraíso?

Às vezes um silêncio impenetrável nos engole. E, no entanto, a alegria resultante do compromisso e conexão com o mundo nos permite apreciar melhor suas mudanças e evolução. Através deste filme, desejo, portanto, revelar e sublinhar a alegria que somos capazes de sentir nestes momentos precisos.

Ao longo de nossas vidas, há momentos em que podemos encontrar-nos preenchidos com pesar e desespero, com vontade de desistir. Apesar disso – ou talvez por causa disso – somos capazes de sustentar nossas esperanças e de continuar a ter fé no futuro.”

 

 

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura

DÊ SUA OPINIÃO