O primeiro longa-metragem de Homero Olivetto estreia em todo o Brasil nesta quinta-feira, dia 21 de janeiro, e tem no elenco Cauã Reymond, Humberto Martins, Sophie Charlotte, Luísa Arraes, entre outros. Além de protagonista, Cauã é também coprodutor de Reza a Lenda.

Homero Olivetto cursou cinema, roteiro e narrativa visual na New York Film Academy em Nova York. É coroteirista do filme Bruna Surfistinha, pelo qual ganhou o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro em 2012. Seu curta de estreia, Ego nowhere, foi premiado na Mostra de Cinema de São Paulo. A origem do projeto foi um conto que o diretor escreveu quando fazia faculdade de filosofia em Salvador, há cerca de 20 anos, sobre um grupo de motoqueiros no sertão. “Meus heróis são uma mistura de Batman com Lampião. Estão sempre lutando contra a natureza, uma força antagônica cujo enfrentamento os fortalece. O cangaço é uma referência quase inevitável”, diz ele.

Entre suas referências, estão o mangue beat, em especial o som da banda Nação Zumbi, e o filme “Baile Perfumado” (96), de Lírio Ferreira e Paulo Caldas. Isso concretizou a inclinação por encarar o sertão por um filtro pop, além de enxergar a afinidade da cultura punk com o sertão.

Reza a Lenda se inscreve num gênero raro no cinema brasileiro: o dos roadmovies, os filmes de ação cuja trama não se passa num lugar fixo, mas numa estrada que oferece um grande número de locações diferentes. O ícone do gênero é Mad Max (1979), de George Miller, em que Mel Gibson vive um policial que combate uma violenta gangue de motoqueiros nas estradas do deserto da Austrália. Em 2015, o gênero se atualizou em Hollywood com o sucesso de público do quarto filme da franquia, Mad Max – Estrada da Fúria, eleito um dos melhores do ano pela crítica especializada.

Homero e sua equipe passaram quatro meses viajando pela caatinga para encontrar suas locações. Foram seis semanas de filmagem em torno de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). A equipe e o elenco tiveram que enfrentar as locações na caatinga, com muita vegetação espinhosa, fechada, num local muito seco e quente, com riscos eventuais como cobras e insetos.

SINOPSE

Em uma terra sem lei, a sorte favorece apenas os mais fortes e corajosos. Ara (Cauã), um homem de ação e poucas palavras, é o líder de um bando de motoqueiros armados que acredita em uma antiga lenda capaz de devolver justiça e liberdade ao povo da região. Quando realizam um ousado roubo, acabam despertando a fúria do poderoso Tenório (Humberto Martins). Agora, Tenório vai concentrar todas as suas forças em uma perseguição para destruir o bando de Ara e recuperar aquilo que acredita ser seu por direito. Durante a perseguição, a jovem Laura (Luisa Arraes) é resgatada de um acidente e tem que seguir o bando contra a sua vontade, despertando ciúmes em Severina (Sophie Charlotte), companheira de Ara.

 

 

Foto: Marcos Camargo/Divulgação

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura

DÊ SUA OPINIÃO