Para encerrar a temporada artística deste ano, o Ballet, o Coro e a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro se reúnem para apresentar o ballet O Messias, que terá nove récitas até o dia 30 de dezembro.

O espetáculo foi criado sobre trinta e dois temas do famoso oratório homônimo de George Friedrich Händel, com libreto de Charles Jennens e coreografia de Mauricio Wainrot.

Wainrpt-Gallardo_w
Mauricio Wainrot

 

Mauricio nasceu na Argentina, em 1946. Estudou dança no Teatro Colón e dançou como bailarino convidado do Royal Winnipeg Ballet (Canadá), no Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e no Ballet de Caracas. Foi também  coreógrafo permanente do Royal Ballet de Flanders, na Bélgica, entre os anos de 1991 e 2004. Atualmente é diretor artístico do Ballet Contemporâneo Teatro San Martin, em Buenos Aires.

 

Sua obra “O Messias”  é abstrata e tem uma atmosfera muito especial e espiritual, que toca tanto ao público como a seus intérpretes. Além dos integrantes do Corpo de Baile, integram o elenco desta produção as sopranos Veruschka Mainhard e Lina Mendes, as mezzo-sopranos Luciana Costa e Silva e Carolina Faria, os tenores André Vidal e Aníbal Mancini e os barítonos Daniel Germano e Mauro Chantal, sob a regência do Maestro Silvio Viegas.

Conheça um pouquinho da obra

Além desta coreografia de Mauricio Wainrot em cima do tema do “Messias” de Händel, também existe outra obra coreografada por John Neumeier para o Ballet de Hamburgo, na Alemanha.

Assista  aqui:

 

Um pouco de História:

George_Frideric_Handel_by_Balthasar_Denner
Händel

Em 1741, Händel recebeu um convite do Lord Lieutenant da Irlanda para ajudar a angariar dinheiro para três instituições de caridade de Dublin através de apresentações musicais. Embora doente nessa época, Händel estava determinado a compor um novo oratório sacro para a ocasião, pedindo a Charles Jennens um tema apropriado. Jennens respondeu com uma criteriosa recolha de versículos e escrituras do Velho e Novo Testamentos arranjados num “argumento” em três partes. O resultado foi o mais famoso e amado oratório de Händel. A obra estreou em Dublin, no período da Páscoa de 1742.

O nome do oratório foi tirado do conceito judaico e cristão de Messias. Para os cristãos, o Messias é Jesus. A obra é uma apresentação da vida de Jesus e de seu significado de acordo com a doutrina cristã.

Vale ressaltar  que o “Messias” é uma obra religiosa mas não é sacra. Isto significa que ela trata de temas religiosos, mas não é uma música para ser tocada em contexto litúrgico. A Igreja, enquanto instituição, sempre foi conservadora no que diz respeito à liturgia, e esta não era concebida como um espetáculo.

Apesar de a obra ter sido concebida para a Páscoa e nela ter sido apresentada pela primeira vez, após a morte de Händel tornou-se tradição executar o oratório durante o Advento, o período preparatório para as festas do Natal.

É essa a proposta do Theatro Municipal do Rio de Janeiro: Oferecer uma temporada que traga uma mensagem de fé, alegria e esperança neste período natalino! Além de ser uma excelente oportunidade de ver os três corpos artísticos da casa atuarem juntos.

Não percam!

 

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura

Liana Vasconcelos
Bailarina formada pela Escola Estadual de Dança Maria Olenewa (Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro) e pela Royal Academy of Dance, de Londres. Conta em seu currículo com diversas premiações em concursos nacionais e internacionais. Ganhou, em 2009, o prêmio de melhor bailarina no Seminário de Dança de Brasília e foi agraciada com uma bolsa de estudos para o Conservatório de Dança de Viena. Pertenceu à Cia. Jovem de Ballet do Rio de Janeiro, São Paulo Companhia de Dança e se apresenta como bailarina convidada em diversos festivais de dança no Brasil. É Bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com a monografia “Memória da Dança: Importância, Registro, Preservação e Legado”. Fez parte do elenco da novela “Gabriela”, da Rede Globo de televisão como bailarina/atriz. Foi contratada pela São Paulo Companhia de Dança, como Pesquisadora, para elaborar duzentos verbetes relativos à dança no Rio de Janeiro, para a enciclopédia online “Dança em Rede”, criada por esta companhia. É também colunista de dança no Blog Radar da Produção É bailarina-intérprete e produtora, junto ao diretor Thiago Saldanha e a coreógrafa Regina Miranda, do projeto “Corpo da Cidade”, uma experimentação em vídeodança que busca dialogar o corpo dançante da bailarina clássica com as transformações urbanas que a cidade do Rio de Janeiro vem sofrendo. Atualmente, é bailarina contratada do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro É apaixonada pelas artes cênicas, espectadora frequente dos teatros do Rio de Janeiro, ama viajar e vive em eterna dança.

DÊ SUA OPINIÃO