Beleza é um dos temas mais recorrentes nessa arte chamada cinema e, na maioria das vezes, vem embalado em pacotes bem parecidos. O que parece ser, mas não é o caso de “Real Beleza”, oitavo longa-metragem do diretor gaúcho Jorge Furtado.

Em filmes como “A Grande Beleza”, “Beleza Americana” e “Beleza Roubada”, o assunto “beleza” de alguma forma vem acompanhado de uma bela jovem, um homem mais velho e uma certa inocência perversa ou perdida. São filmes que vão além e bem fundo em outros assuntos associados à beleza, mas que se aproximam a partir desses elementos citados.

Beleza Americana
Beleza Americana

Em “Real Beleza” você também verá uma bela jovem, um homem mais velho e uma inocência perversa, mas aqui, esses pré-requisitos estão embaralhados e ocupam lugares diferentes.

Um fotógrafo de moda em crise com sua carreira se lança em uma busca por uma nova beleza feminina. Interpretado por Vladmir Brichta, João na verdade busca a si mesmo e qual de fato é seu papel no mundo. Nem de longe aparenta ser apaixonado pela profissão. Em uma das cenas, inclusive diz, “Acho que é por isso que me tornei fotógrafo. Pra não sair nas fotos.”. João aparenta não ter paixões. Até encontrar Anita.

 

Beleza Roubada
Beleza Roubada

Depois de passar por várias cidades fotografando muitas e muitas jovens, João finalmente encontra o que procurava: Maria, de 16 anos, cujo pai, Pedro, (Francisco Cuoco) não aprova que ela siga a profissão de modelo. Por outro lado, Anita (Adriana Esteves), a mãe, quer que a filha tenha a chance de conhecer o mundo, o que na verdade se revela ser um desejo dela mesma. Casada com um homem 40 anos mais velho que ela e praticamente cego, Anita está em uma prisão emocional, cujas grades serão afrouxadas com a chegada de João.

Os dois se envolvem perdidamente durante a ausência de Pedro e é a partir daí que o filme abre seu leque de belezas. O ambiente, um pequeno sítio com uma paisagem deslumbrante, Anita, uma bela mulher reprimida em um universo interiorano e as belas e frequentes referências a obras de arte muito caras ao roteirista e diretor Jorge Furtado: Shakespeare, Borges e Cartier-Bresson são apenas alguns dos artistas citados ao longo do filme. Em alguns momentos, essas citações ficam perdidas, ou um pouco sem propósito narrativo, acabam se tornando presenças além-história, para além dos personagens.

Por falar em personagens, dentre eles o que se destaca e toma o lugar de protagonista é Anita, assim como a delicada interpretação de Adriana Esteves. A atriz usou na medida certa a tensão, o desejo e o amor materno em uma personagem profunda e cheia de detalhes. O deslize do filme é justamente não colocar essa mulher como seu foco principal, assim como sua relação com o marido, que não é conflituosa e sim algo que transcende a fatia de vida mostrada na tela, mas que infelizmente não é acessível ao espectador, que fica sem entender como que algumas coisas mudam repentinamente.

O que “Real Beleza” tem de mais belo é justamente a tentativa de encontrar algo de real em coisas que costumam ser apenas belas. Não se trata de um filme que alcançou uma mensagem significativa, mas um filme que está no processo de alcançar ou melhor, que nos ajuda a entrar nesse processo e chegar lá por nós mesmos, através de nossos próprios olhos.

Trailer do filme:

Nathália Oliveira
Parte cineasta, parte bailarina e parte roteirista, Nathália Oliveira gosta de fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Formada em Cinema pela PUC-Rio, ela trabalha atualmente como redatora publicitária na Rede Telecine e roteirista de projetos independentes. Ao longo de sua formação acadêmica fez curtas universitários e clipes musicais como assistente de direção, assistente de produção, assistente de fotografia, conselheira e animadora de equipe. Trabalhou durante 6 meses como voluntária no projeto social CriAtivos organizando um cineclube para crianças. Isso tudo sem deixar de frequentar as aulas de ballet e jazz. Apaixonada por cinema brasileiro, esta é sua primeira colaboração para um site cultural. Nathália acredita que todo filme merece ser visto e vai tentar te convencer disso.

DÊ SUA OPINIÃO