GRUPO ESPECIAL DA ESCOLA MUNICIPAL DE BAILADO DE OURINHOS (SP) - "Noites de Walpurgis". Crédito: Diego Redel. Divulgação / Festival de Dança de Joinville

O ato de julgar é uma função complicada. Nem sempre são justos. Nem sempre são certos. No caso de um festival de dança, é ainda mais complicado. Os jurados precisam avaliar a técnica de uma vida inteira de dança de um bailarino resumida em uma única apresentação de até cinco minutos, e ainda tentar – digo tentar, pois alguns não tentam – suprimir seu gosto pessoal na aprovação ou não da coreografia.

Um destes casos aconteceu na sexta noite competitiva do 33º Festival de Dança de Joinville. O Grupo Especial da Escola Municipal de Bailado de Ourinhos – vindo de Ourinhos, São Paulo – fez todo o Centreventos Cau Hansen tremer, literalmente, e o público levantar das cadeiras com aplausos intermináveis. A coreografia “Noites de Walpurgis”, originalmente criada por Lavrovsky, e remontada pelos coreógrafos Jorge Texeira e Thadeo de Carvalho foi digna de um espetáculo e não de competição. Cenário ambientando a região de montanhas onde se passava a coreografia – com direito a uma base de tronco de árvore – e figurinos muito bem desenhados e apresentados, remetendo muito bem à mitologia nórdica. O corpo de baile era grande, e de encher o palco, com técnicas e precisões de tirar o fôlego. Eu fiquei arrepiada! Pela primeira vez um balé me deixou tão emocionada… Era título certo! Mas, infelizmente, os jurados decidiram desclassificar o grupo por ultrapassar o tempo que segundo o regulamento da mostra competitiva é de 12 (doze) minutos.

Jorge, se pronunciou ontem em sua página no Facebook sobre o ocorrido: “Acredito, que tenha acontecido um engano por parte da organização de cronometragem, do festival. Nosso trabalho, “Noite de Walpurgis”, foi apresentado da mesma forma que foi selecionado, com o tempo total de 11 min e 48 segundos. Tivemos nota máxima dos jurados e fomos desclassificados por ter estourado o tempo, o que com certeza foi um erro.”, esclarece. Diante disso, todos os grupos dessa categoria ganharam colocação menos o Bailado de Ourinhos. Pergunto a vocês: seria esse um festival que julga dança ou pontualidade? Julga técnica ou informações secundárias?

GRUPO ESPECIAL DA ESCOLA MUNICIPAL DE BAILADO DE OURINHOS (SP) – “Noites de Walpurgis”. Crédito: Diego Redel. Divulgação / Festival de Dança de Joinville
GRUPO ESPECIAL DA ESCOLA MUNICIPAL DE BAILADO DE OURINHOS (SP) – “Noites de Walpurgis”. Crédito: Diego Redel. Divulgação / Festival de Dança de Joinville

Para meu alívio, o Jazz não foi tão injustiçado assim. Mas, em geral, achei a noite fraca. Só dois grupos me chamaram a atenção: Monique Paes Studio de Dança e Fundação Municipal de Cultura de Araquari. O primeiro grupo – vindo de Jacareí, São Paulo – concorreu no solo feminino, categoria sênior, com a coreografia “Jazz in Blues”. A bailarina Scarlet Morena tinha uma linguagem corporal e uma técnica maravilhosa. A musicalidade da bailarina, e da coreografia, era tanta que parecia que a música foi escrita baseada na coreografia. Os desenhos coreográficos e transições fizeram o palco ser bem utilizado durante a dança. “Jazz in Blues” conquistou o 2º lugar no gênero.

MONIQUE PAES STUDIO DE DANÇA (SP) – “Jazz In Blues”. Crédito: Diego Redel. Divulgação / Festival de Dança de Joinville
MONIQUE PAES STUDIO DE DANÇA (SP) – “Jazz In Blues”. Crédito: Diego Redel. Divulgação / Festival de Dança de Joinville

Já a Fundação Municipal de Cultura de Araquari – de Araquari, Santa Catarina – competiu no conjunto, categoria júnior. A coreografia “Renda Renascença”, das coreógrafas Patrícia Dalchau e Valdirene Bernardi, trouxe bailarinas com graciosidade e leveza nos movimentos. A dança continha passos simples, mas muito bem executados e com muita sincronia. O grupo foi classificado em 3º lugar.

FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA DE ARAQUARI (SC) – “Renda Renascença”. Crédito: Diego Redel. Divulgação / Festival de Dança de Joinville

 

Confira o resultado da noite:

BALÉ CLÁSSICO DE REPERTÓRIO – CONJUNTO – SÊNIOR
1° LUGAR: CIA DE BALLET ADRIANA ASSAF (SP) – La Sylphide
2° LUGAR: CEP EM ARTE BASILEU FRANÇA (GO) – La Bayadere
3° LUGAR: BALE DA CIDADE DE SANTOS (SP) – Valsa das Flores
3° LUGAR: CIA “PETITE DANSE” (RJ) – Raymonda

JAZZ – CONJUNTO – JÚNIOR
1° LUGAR: GRUPO IOA DANÇA (SP) – Deixe Entrar!
2° LUGAR: GRUPO MERY ROSA (SC) – Tonight
3° LUGAR: FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE CULTURA DE ARAQUARI (SC) – Renda Renascença

JAZZ – DUO – JÚNIOR
2° LUGAR: GRUPO DE DANÇA ANA ARAÚJO (SP) – Ordinary Love
3° LUGAR: Camila Simioni e Victória Sanches – ELIANE FETZER JAZZ JUVENIL (PR) – Eu Não Fiz Nada Disso

JAZZ – SOLO FEMININO – SÊNIOR
1° LUGAR: Julia Meirelles – ELIANE FETZER CENTRO DE DANÇA (PR) – As Rosas do Outro Lado
2° LUGAR: Scarlet Morena – MONIQUE PAES STUDIO DE DANÇA (SP) – Jazz In Blues
3° LUGAR: Larisa Hermogenes – GRUPO DE DANÇA DBAYA (SP) – Corpo… Falar ou Calar

 

Atualização em 31/07 às 23h50

O Festival de Dança de Joinville divulgou Nota de Esclarecimento sobre o acontecido em sua página no Facebook no dia 30 de julho às 11h37.

Segue:

NOTA DE ESCLARECIMENTO
A organização do evento vem relembrar a todos que o tempo máximo das coreografias em todas as categorias está determinado no regulamento.
Fazem lembrar também que há previsto uma tolerância de 15 segundos extras em palco para possíveis eventualidades. Isso é controlado pelo computador com base no CD entregue pelos grupos concorrentes.
Caso seja ultrapassado o tempo determinado, o trabalho é automaticamente considerado desclassificado, independentemente de sua qualidade artística.
O Instituto Festival de Dança é rigoroso nesse aspecto, em respeito a maioria absoluta dos grupos que atendem ao tempo estipulado em regulamento.
A organização se põe à disposição para maiores esclarecimentos caso se façam necessários.

Foto da capa: Diego Redel

Michelle Braga
Jornalista formada pelo Bom Jesus/IELUSC em Joinville (SC). Especialista em crítica de dança e jornalismo cultural. Foi bailarina de ballet clássico, jazz, danças populares e danças urbanas.

7 COMENTÁRIOS

  1. Para quem trás pisca pisca para uma noite de gala…Até que né…Há, antes que me corrijam, é para ser um vocabulário chula mesm…O que de fato me parece, é que a assessoria de imprensa possui dissonância intelectual quando justifica que os grupos terão um momento na noite dos campeões, faze rir…Meramente assumindo!

  2. Anônimo????? E vc quem é???? Nem nasceu ainda pois nem nome tem e nem coragem, se esconde atrás de um nome fake.
    Vai crescer anômimo e estudar um pouco, ter formação para depois vir aqui tecer algum comentáriooo

  3. Prezada Michelle, você se apresenta como jornalista e tem feito um bom trabalho, mas devo observar que esqueceu no texto acima de exercitar aquela regrinha básica do jornalismo que a gente aprende na faculdade e na vida: de sempre ouvir o outro lado. Em primeiro lugar, vc cometeu um erro ao afirmar que… “Mas, infelizmente, os jurados decidiram desclassificar o grupo por ultrapassar o tempo…” Liguei para prestar esclarecimentos a você, mas infelizmente não atendeste no número que temos aqui na assessoria. Se tivesses buscado as informações terias sido informada que o grupo em questão recebeu nota máxima dos jurados e que não foram eles (os jurados) quem os desclassificaram, mas a coordenação do evento, com base nos critérios técnicos do regulamento da Mostra Competitiva a quem todos os grupos têm acesso no momento da inscrição. Também seria informada que o Festival colocou uma nota em seu perfil no Facebook explicando a decisão técnica tomada. Também teria sido informada de que houve uma reunião com o grupo ainda pela manhã e que este grupo e outro que também estourou o tempo nesta semana, e era o favorito da noite e foi igualmente desclassificado, também foi convidado para uma apresentação especial na Noite dos Campeões. Por último, suas perguntas: “seria esse um festival que julga dança ou pontualidade? Julga técnica ou informações secundárias?” também teriam sido facilmente respondidas pela coordenação do evento. E nós, da assessoria de imprensa, estamos aqui justamente para atendê-los e colocá-los em contato com quem tem as informações que os profissionais de imprensa precisam. Nossa coordenadora, Iraci Seefeldt, e nós jornalistas da assessoria de imprensa, nos colocamos à sua disposição para esclarecer suas dúvidas. Também me permito um preciosismo baseado em minha longa experiência como editora: quando você diz: “Tivemos nota máxima dos jurados e fomos desclassificados por ter estourado o tempo, o que com certeza foi um erro.”, esclarece…” Lembro que neste momento, ele não esclarece nada. O correto é “ele diz, ou observa, ou desabafa… Enfim, estamos aqui para prestar as informações necessárias. Nos procure. Bom trabalho.

DÊ SUA OPINIÃO