Foi dada a largada: no dia 3 de Dezembro foi lançado o edital do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, com uma cerimônia realizada no Salão Portinari do Palácio Capanema, no centro do Rio. Com um investimento total de R$ 6 milhões, o edital vai conceder premiações com valores entre R$ 44 mil e R$ 100 mil aos 82 projetos que serão selecionados, depois de passarem pela avaliação da Comissão de Seleção composta por sete membros, sendo um da Funarte e mais seis especialistas em dança.

Mas antes de entrar em detalhes sobre o Prêmio, gostaria de ressaltar quem foi o artista que dá nome a este importante prêmio. Muitas pessoas concorrem ao edital sem saber quem foi Klauss Vianna e sem ter noção de sua importância para a dança e o teatro brasileiros.

 

Klauss e Angel, com quem viveu por 25 anos
Klauss e Angel, com quem viveu por 25 anos

Nascido em Belho Horizonte no ano de 1928, Klauss Ribeiro Vianna foi  introdutor de um método próprio voltado para a corporalidade expressiva de atores e bailarinos.   Começou a dançar aos 15 anos e, no início da década de 50, fez  curso com a famosa bailarina russa Maria Olenewa. Mais tarde, fundou em Belo Horizonte, com Angel Vianna, com quem viveu durante 25 anos, o Balé Klauss Vianna. Posteriormente passou dois anos em Salvador, onde, a convite da Reitoria da Universidade Federal da Bahia, fundou o departamento de dança clássica da Escola de Dança. Depois, é convidado a lecionar na Escola de Dança do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e começa então  a desenvolver uma linha de  pesquisa com bailarinos e atores.

 

Seu trabalho gira  em torno do princípio de que toda pessoa traz dentro de si a sua dança  e o professor funciona como aquele que deve trazê-la à luz. Para tanto, é preciso que se chegue a uma grande soltura física, obtida por meio da profunda consciência do próprio corpo – músculos, articulações e ossos.

Ele assumiu,  na década de 1970, a direção da Escola de Teatro Martins Pena, integrando alunos e professores em uma “escola aberta”. Foi também diretor do Instituto Estadual das Escolas de Arte do Rio de Janeiro, Inearte, de 1978 a 1980.

 

Livro "A Dança" de Klauss Vianna
Livro “A Dança” de Klauss Vianna

A partir de 1981, transferiu-se para São Paulo, onde dirigiu a Escola Municipal de Bailado e tornou-se membro do Conselho Estadual de Dança da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, em 1982. Seu método é  finalmente registrado em 1990, com anotações de quarenta anos de trabalho, em colaboração com Marco Antônio de Carvalho, a partir de bolsa concedida pela Fundação Vitae.

 

Klauss  faleceu em São Paulo, no ano de 1992. Mas no Rio de Janeiro, a Escola Angel Vianna continua a difundir seu método na formação profissional de bailarinos, atores, coreógrafos e terapeutas corporais, escola que se tornou curso superior no ano de  2001.

 

O Prêmio da Funarte recebeu então o nome de Klauss Vianna em homenagem à trajetória deste grande artista brasileiro, que pregava aos seus discípulos: “Não decore os passos. Aprenda o caminho.”

O caminho do Prêmio Klauss Vianna é simples, porém muito disputado. Ele foi criado em 2006 e se destina a patrocinar a criação artística em dança ( montagens coreográficas, videodança, instalações, performances, seminários e festivais) e a circulação de espetáculos em todo o território nacional. Seu edital é dividido em três categorias: Atividades artísticas, Circulação e Novos talentos.  Uma peculiaridade do prêmio é que, além de grupos, companhias e cooperativas, podem se inscrever pessoas físicas, o que proporciona ainda mais acessibilidade aos artistas independentes. E para viabilizar uma acessibilidade nacional mais democrática, o Prêmio Klauss Vianna é dividido, também, por regiões, cabendo a cada uma delas, proporcionalmente, um determinado número de prêmios das diferentes categorias.

Em sua última edição, foram enviados mais de 700 projetos. Neste ano não será diferente. A disputa é sempre muito grande, mas a oportunidade dança com aqueles que já estão no salão. As inscrições se encerram no dia 19 de Janeiro. O que você está esperando? O caminho já foi ensinado…falta só você preenche-lo com seus passos.

Boa dança!

e Viva Klauss Vianna!!!
Para mais informações sobre Klauss Vianna:  http://www.klaussvianna.art.br/default.asp

Para mais informações sobre o Prêmio: http://www.funarte.gov.br/edital/premio-funarte-de-danca-klauss-vianna2014/ 

 

Liana Vasconcelos
Bailarina formada pela Escola Estadual de Dança Maria Olenewa (Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro) e pela Royal Academy of Dance, de Londres. Conta em seu currículo com diversas premiações em concursos nacionais e internacionais. Ganhou, em 2009, o prêmio de melhor bailarina no Seminário de Dança de Brasília e foi agraciada com uma bolsa de estudos para o Conservatório de Dança de Viena. Pertenceu à Cia. Jovem de Ballet do Rio de Janeiro, São Paulo Companhia de Dança e se apresenta como bailarina convidada em diversos festivais de dança no Brasil. É Bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense (UFF), com a monografia “Memória da Dança: Importância, Registro, Preservação e Legado”. Fez parte do elenco da novela “Gabriela”, da Rede Globo de televisão como bailarina/atriz. Foi contratada pela São Paulo Companhia de Dança, como Pesquisadora, para elaborar duzentos verbetes relativos à dança no Rio de Janeiro, para a enciclopédia online “Dança em Rede”, criada por esta companhia. É também colunista de dança no Blog Radar da Produção É bailarina-intérprete e produtora, junto ao diretor Thiago Saldanha e a coreógrafa Regina Miranda, do projeto “Corpo da Cidade”, uma experimentação em vídeodança que busca dialogar o corpo dançante da bailarina clássica com as transformações urbanas que a cidade do Rio de Janeiro vem sofrendo. Atualmente, é bailarina contratada do Corpo de Baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro É apaixonada pelas artes cênicas, espectadora frequente dos teatros do Rio de Janeiro, ama viajar e vive em eterna dança.

DÊ SUA OPINIÃO