Quem nunca leu no Facebook ou blogs, postagens de notícias de importância pública seguida pela frase “Isso a Globo não mostra”? Algo normal nos dias atuais, onde as pessoas criam ou procuram meios de expor suas opiniões de uma forma que seja uma verdade incontestável. É verdade que a Globo tem sua posição política e, como já disse anteriormente, é direito dela sendo uma tv privada. Outra verdade é que seu conteúdo programático é alvo de críticas por conter: violência, relações homoafetivas, “distorção da verdade” e manipulação da informação e etc. Fiquem calmos, não serei a Advogada do Diabo. Não vou falar sobre a Rede Globo, e sim, sobre a televisão espanhola. Essa merece todos os bombardeios que a Rede Globo recebe diariamente. Hoje irei mostrar algumas das coisas mais bizarras que aconteceram e acontecem diariamente na TV espanhola e que você provavelmente não veria na Rede Globo.

1. Adán y Eva

Adão e suas Evas
Adão e suas Evas

Em tempos de BBB, onde anônimos se reclusam em uma casa para competir por 1 milhão de reais, os brasileiros se revoltam com o programa e pedem sempre sua exclusão. Por quê? Os motivos são muitos: mau exemplo, conteúdo sexual, falta de conteúdo, etc. Por que as pessoas se irritam tanto com o BBB? É exibido num horário que convém com o conteúdo e, o que pode ser considerado impróprio é feito debaixo de um edredom sem que ninguém veja.

Já a Cuatro, um canal espanhol que pertence ao grupo Mediaset (que é de propriedade de Silvio Berlusconi, hehe), exibem o dating show Adán y Eva, protagonizado por anônimos em busca do amor. O que acontece? Os participantes vão para uma ilha deserta e viverão uma reclusão juntos, a fim de conhecer o amor. Normal? Não, todos estão nus (taí o nome do programa) e todas as partes estão à vista. Mesmo que o programa seja exibido depois das 23h, horário que pode ser aceitável um conteúdo impróprio, durante o dia há comerciais e flashes do programa, em que mostram bundas e peitos. Uma rápida observação, este programa também é um formato original holandês, assim como BBB.

2. Sálvame

Em 3 edições: Naranja, Limón e Deluxe
Em 3 edições: Naranja, Limón e Deluxe

Lembro-me nos anos 90 quando a justiça decidiu censurar alguns conteúdos da novela das 8. A solução foi colocar a novela mais tarde, para poder ter a liberdade de exibir qualquer conteúdo (com alguma restrição, é claro). As novelas, no geral, não mostravam partes dos corpos nem falavam palavrões. Lembro-me de ficar chocada ao ouvir um “puta” em uma novela.

Já na Telecinco (outro canal do grupo Mediaset de Berlusconi) isso é algo normal. Sálvame é um programa de fofocas de mal gosto. Algo que nem a Rede TV exibiria. Um programa com 5 horas de duração que falam as piores fofocas do mundo das subcelebridades. Traições, roubos, assassinatos, golpes políticos, corrupções… tudo em tom de fofoca. Isso não seria um problema se não fosse pelo fato de ser exibido das 16h às 20h. Atualmente, a justiça espanhola estipulou que o programa deveria sair do ar por seu conteúdo, já que muitas crianças poderiam ver. O que foi feito foi dividir em 2: 16h as 17h (quando as crianças ainda estão na escola) o conteúdo ácido e impróprio e, de 17h às 20h um conteúdo light.

Recentemente, li uma entrevista de Denis Carvalho e tive que concordar em muitas coisas. Uma delas e primordial é o fato das pessoas reclamarem do conteúdo das novelas por serem impróprias para crianças, ele foi curto e grosso (e correto): “Criança não tem que ver novela”.  Atualmente, os pais usam a TV como pilar da educação de seus filhos, um trabalho obrigatório deles. Não quer que seu filho veja dois homens se beijando? Desliga a TV. Dá um livro. Coloque pra dormir. Simples. Usar a desculpa de que seus filhos podem ver algo impróprio não deve ser utilizado como fator censurável de um programa.

3. Noticiários de Esporte.

O que eles estão conversando é mais importante que a performance em campo.

Muitas pessoas reclamam do Galvão Bueno (concordo que ele é chato), da informalidade do Thiago Leiffert e de outras coisas. A verdade é que os noticiários da Globo (em geral) não são tão ruins quanto possa parecer. Imagina que poderia ser muito pior. A exemplo, os noticiários de esporte do canal Cuatro. Primeiramente, eles usam o twitter como créditos dos apresentadores. Segundo, o conteúdo é 90% futebol e 10% para todos os outros esportes. Imagina que o programa, fala da balada do Cristiano Ronaldo e do gesto obsceno do Neymar durante uns 35 minutos. E por 5 minutos, sobre a vitória de Fernando Alonso e da partida de basquete de Real Madrid e Barça. Quando há grandes partidas (o que acontece sempre), eles dizem que vão analisar o jogo. Mas o que eles analisam é o comportamento dos jogadores , criam histórias e supõem rivalidades a partir dos gestos. Como quando o Barça ganhou a Copa Del Rey, eles fofocaram sobre o comportamento do técnico do time. Ou quando o Real Madrid perdeu de 4 a 1, eles só falaram de como Cristiano Ronaldo e Marcelo curtiram a festa de aniversário do primeiro em um bar com Karaokê. Isso é conteúdo?

4. Mujeres y Hombres Y ViceVersa

Manu Maria

Mais um produto Mediaset. Mais um dating show. Mais um programa de fofoca com subcelebridades. Exibido de 11h às 14h. Reclama da Ana Maria Braga? Reclama da Fátima Bernades? Ana Hickman é um pé no saco? Sabe de nada, inocente.  Semanalmente, um homem ou mulher participam deste programa para escolher sua pretendente. Porém, acaba virando um programa de barracos e fofocas sobre a vida das concorrentes. O dia que eu assisti esse programa, foram 30 minutos discutindo a roupa e a atitude de uma das concorrentes. E no final, foi escolhida uma convidada que era irmã do Cristiano Ronaldo.

A Globo mostraria uma mulher vestida de cigana e falando altos palavrões enquanto as pessoas criticavam sua atitude às 11h da manhã? Acho que não, né?

Não sei se perceberam, mas a grande parte dos programas são do grupo Mediaset. A Telecinco obtém a maioria da audiência, assim como a Globo. E é chamada de Telebasura (algo como TV Lixo), assim como a Globo é comumente referenciada como Rede Esgoto de Televisão.  Ainda que o conteúdo não seja o que o povo brasileiro quer ver e que a Rede Globo tenha posicionamentos e atitudes quanto à informação que pode ser inadequada, devemos dar os créditos por ela produzir teledramaturgia por excelência. Dificilmente encontrará um canal que produza telenovelas com tanta qualidade técnica, com gêneros diversificados e que esteja investindo na produção como a Globo. Suas últimas tentativas de chamar a atenção de seu público têm surtido efeito, e cada vez mais, a TV brasileira (de um modo geral) têm sido referência a outras.

É verdade que sua programação é bem antiquada e rígida se compararmos com algumas das maiores redes de TV do mundo. Atualmente, produz-se fusões de gêneros e formatos em programas que buscam o hibridismo para entreter e informar. Isso é algo que falta na Globo. Arriscar em novos formatos. As pessoas precisam parar de reclamar de seu conteúdo e apenas desligar a TV. Enquanto TV privada ela está no direito de exibir o que ela quiser. Se fosse uma TV pública, todos deveriam cobrar excelência nos conteúdos, na posição política e na difusão da informação. Como puderam ver no meu texto hoje, 4 exemplos de programas que a GLOBO NÃO MOSTRA e fico muito feliz que não o faça. Não curte Babilônia? Pois veja Os 10 Mandamentos na Record. Pense: poderia ser muito pior.

Thais Nepomuceno
Fã efusiva do cineasta Alexander Payne, cultiva um sonho cinematográfico: um dia, John Cusack aparecer na janela de seu quarto, segurando um boombox no alto, tocando "In Your Eyes" (assim como no filme "Say Anything"). Thais Nepomuceno é produtora cultural, com especialização em cinema. Durante um ano estudou produção cinematográfica na ESTC em Lisboa, onde produziu o curta-metragem “Chronos” da diretora portuguesa Joana Peralta. Antes de sua formação no exterior, Thais já havia colaborado em sites de cinema, participado de curadorias em cineclubes e estagiado na TV Brasil. Foi quando dirigiu e produziu o curta-metragem "A View To A Kill - the Director's Cut". O filme já participou de festivais universitários e exibições em cineclubes. Esta pequena produção, com custo zero, feito a partir da colaboração de seus amigos é uma grande brincadeira com os clichês do terror adolescente; auto-definido como freshy trashy movie. Atuou na coordenação de pós-produção da TV Globo e agora está realizando seu mestrado em Formatos e Conteúdos Audiovisuais, na Universitat de Valencia (Espanha). E não fale mal do Leonardo Dicaprio perto dela.

DÊ SUA OPINIÃO