Uma das mais importantes obras audiovisuais do cineasta sueco Ingmar Bergman, ganhou uma versão repaginada. Esteve este ano encantando os palcos espanhóis, a versão argentina para a série de TV Cenas de Um Casamento. Nesta adaptação da obra, Johan e Marianne viram Juan e Mariana, sendo interpretados por Ricardo Darín e Erica Rivas.

A transposição de um especial de TV sueco, para um palco latino não apresentou superficialidades nos temas, muito menos inconsistência cênica. Não preciso dizer que Ricardo Darín é o grande nome do cinema argentino, seu talento e sabedoria guiam o personagem Juan e comprovam a experiência e facilidade que o ator tem nos palcos. Ver Darín no teatro é ter a certeza de seu talento. Além disso, fica impossível imaginar outro neste mesmo papel, sem grandes movidas cênicas, a simplicidade da direção foca na química entre os atores e os seus talentos. Por outro lado temos Erica Rivas, que ganhou destaque nos cinemas por sua atuação em Relatos Selvagens, também protagonizado pelo ator.

Rivas não fica sob a sombra de Darín. O jogo estabelecido pela adaptação, direção e atores mostra a cada cena um pequeno twist na vida do casal. A Mariana de Rivas tem seus altos e baixos, mas ainda assim não deixa a situação ser comandada por Juan. Já a direção é de um nome clássico no teatro e cinema argentino Norma Aleandro, que esteve atuando com Darín em O Filho da Noiva de Juan Jose Campanela. Aleandro é a dama do teatro argentino.

Sua idade não reflete na direção e sim, a sua bagagem, história e vocação. Se vê maturidade em todos os sentidos no entendimento daquela obra. Aleandro demonstra ter muita jovialidade em sua direção. A montagem argentina de Cenas de um Casamento, nesta versão 2.1, mostra a atemporalidade da obra e o talento dos três atores argentinos. Ver esta obra, é ver Argentina potencializada em cena.

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura
Thais Nepomuceno
Fã efusiva do cineasta Alexander Payne, cultiva um sonho cinematográfico: um dia, John Cusack aparecer na janela de seu quarto, segurando um boombox no alto, tocando "In Your Eyes" (assim como no filme "Say Anything"). Thais Nepomuceno é produtora cultural, com especialização em cinema. Durante um ano estudou produção cinematográfica na ESTC em Lisboa, onde produziu o curta-metragem “Chronos” da diretora portuguesa Joana Peralta. Antes de sua formação no exterior, Thais já havia colaborado em sites de cinema, participado de curadorias em cineclubes e estagiado na TV Brasil. Foi quando dirigiu e produziu o curta-metragem "A View To A Kill - the Director's Cut". O filme já participou de festivais universitários e exibições em cineclubes. Esta pequena produção, com custo zero, feito a partir da colaboração de seus amigos é uma grande brincadeira com os clichês do terror adolescente; auto-definido como freshy trashy movie. Atuou na coordenação de pós-produção da TV Globo e agora está realizando seu mestrado em Formatos e Conteúdos Audiovisuais, na Universitat de Valencia (Espanha). E não fale mal do Leonardo Dicaprio perto dela.

DÊ SUA OPINIÃO