Um dos principais nomes da Pop Art na América Latina, o pintor Glauco Rodrigues tem sua vida e obra retratada no documentário GLAUCO DO BRASIL, concebido e realizado pelo diretor Zeca Brito, que teve sua estreia mundial na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Em 1998, aos 12 anos de idade, o diretor Zeca Brito entrevistou com uma câmera amadora o pintor Glauco Rodrigues em sua terra natal, Bagé, no Rio Grande do Sul. Ele ainda não sabia, mas ali começava o documentário GLAUCO DO BRASIL. Depois de sua morte (em 2004), sua obra permaneceu obscura até que, em 2013, durante a exposição “O Anjo da História”, realizada na Escola de Belas Artes de Paris, com curadoria do renomado teórico francês Nicolas Bourriaud, um novo olhar foi lançado sobre o artista brasileiro que, segundo Bourriaud, foi esquecido em seu próprio país por não seguir as regras do mercado da arte e da história oficial, uma história modernista.

A partir de então, Zeca Brito deu continuidade às filmagens, desta vez com uma equipe profissional, visando investigar a trajetória de vida de Glauco Rodrigues através de sua obra. Pela pintura de Glauco, redescobrimos o Brasil, sua história, cultura e época. O pintor apresenta uma espécie de iconografia da ditadura, se apropria da cultura erudita e popular, revelando um país e suas mazelas. A narrativa é costurada por entrevistas com intelectuais, artistas e críticos de arte como Frederico Moraes, Luís Fernando Veríssimo, Ferreira Gullar, Affonso Romano Sant’Anna, Nicolas Bourriaud e o colecionador Gilberto Chateaubriand, tendo como fio condutor depoimentos do próprio Glauco Rodrigues. O filme estreia nos cinemas no dia 10 de março.

 

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura

Fonte: Assessoria de Imprensa

DÊ SUA OPINIÃO