A Inglaterra funciona de uma maneira bem diferente da nossa quanto ao financiamento cultural. O principal órgão financiador de projetos culturais na Inglaterra é o Arts Council England, que investe em projetos de artes e cultura em toda a extensão da Inglaterra (e que não é a versão do Ministério da Cultura de lá, esse é o Department for Culture, Media and Sport). A verba para financiar projetos do Arts Council vem de duas fontes principais: o governo inglês (o departamento para cultura, mídia e esporte) e a loteria nacional (National Lottery).

O Arts Council England foi fundado em 1994, quando o Arts Council of Great Britain, criado em 1946, foi dividido em 3 órgãos separados, um para Inglaterra, um para a Escócia e um para Wales. Em 2003 houve uma grande reformulação no funcionamento do órgão. Este investe em todos os tipos de artes, cultura e patrimônio, sejam eles projetos ou instituições como o Royal Opera House (é perceptível a preferência por projetos de longa duração). Financia desde o teatro à arte digital, leitura, dança, música, literatura, artesanato até coleções; e tem como missão Arte e cultura de qualidade para todos. Uma questão diferente, é que quando você solicita o financiamento de algum projeto, as inscrições abrem para o período de 3 anos, ou seja, projetos que irão se realizar entre 2015 e 2018 devem se inscrever este ano. As inscrições são online e cada área de atuação abre com um “edital” diferente, com um guia que explica muito bem o que o conselho está buscando incentivar e o que apresentar no projeto.

Arts_Council_England_mission_and_goals

O Arts Council funciona da seguinte maneira: existe um conselho nacional, denominado National Council, responsável pela governança do Arts Council, por defender seus direitos e por garantir o cumprimento dos objetivos traçados pela entidade (Arts Council England’s objectives). O National Council é composto por 14 membros, sendo um deles o National Chair (como se fosse o presidente do conselho), que atualmente é Sir Peter Bazalgette; pelos 5 representantes do Area Council, um de cada área; e por 8 membros indicados pela secretaria de cultura, o Secretary of State for Culture, Media and Sport. Cada membro é indicado pela sua representatividade no setor cultural: artistas, administradores em artes, acadêmicos, tanto do setor público quanto privado. Os membros ficam 4 anos no cargo, podendo ser renovado por mais 4 anos.

O National Council se reúne 10 vezes no ano. O restante do trabalho é realizado por comitês que cobrem responsabilidades diferentes do conselho, sempre reportando à ele.

Abaixo do National Council há o Area Council. Em teoria, eles dividiram a Inglaterra em cinco regiões e cada uma tem um órgão representativo do Arts Council específico, esse órgão é denominado Area Council e são eles: North, Midlands, London, South East and South West.

Os Arts Council Areas são responsáveis por definir quais são as áreas estratégicas, os planos e prioridades de ação naquela área em compatibilidade com as políticas nacionais; pela aprovação de investimentos (que duram 3 anos) e acordo de investimento e retirada de recursos no portfólio de organizações nacionais com menos de 800 mil pounds (libras).

Para fazer a conexão entre o National Council e o Area Council existe o Arts Council England executive board, garantindo que os Area Council realizem seus planos. Além disso, esse painel executivo também cuida das estratégias e decisões do Arts Council. A transparência pública com os gastos é enorme, e pode ser verificada online através de relatórios. O site do Arts Council possui diversas informações e é de fácil acesso.

O fundo da loteria nacional também é outra coisa muito legal e diferente na Inglaterra. 28% do total do valor “jogado” na loteria se revertem para um programa de responsabilidade social, denominado National Lottery Good Causes. Esses 28% são distribuídos da seguinte maneira: Saúde, Educação, Meio ambiente e caridade – 40%; esportes – 20%; artes – 20%; e patrimônio – 20%. O dinheiro gasto em jogos acaba retornando de uma boa maneira para a sociedade. (Por curiosidade, os prêmios só representam 50% do valor).

Além disso tudo, o Arts Council também proporciona diversas pesquisas no setor cultural. Veja abaixo alguns números:

Investment4 Employment4

Economy4 Audience4

Também existem outras formas de financiamento além do Arts Council, que se encontram aqui.

Outras pesquisas no setor aqui!

E aí, o que achou desse modelo? Bem diferente do nosso, não?

Juliana Turano
Bacharel em Produção Cultural pela Universidade Federal Fluminense e pós-graduada em Gestão Empresarial e Marketing pela ESPM. Idealizadora e gestora do site TagCultural e projetos derivados, trabalhou como produtora de importantes empresas como Grupo Editorial Record, Espaço Cultural Escola Sesc e Rock in Rio, nas edições de Lisboa 2012 e Brasil 2013. Megalomaníaca, criativa, entusiasta da música e do ballet clássico, não perde um espetáculo de dança do Theatro Municipal do Rio de Janeiro ou um festival de música legal. Adora viajar e aproveita suas viagens para assistir espetáculos de importantes companhias como do Royal Opera House e New York City Ballet. Também aproveita para comparar o desenvolvimento cultural de outros países com o do Brasil e sonha que seu país se desenvolva mais nesse campo.

1 COMENTÁRIO

DÊ SUA OPINIÃO