Em 2014, a companhia Os Dezequilibrados completou 18 anos. Para comemorar, planejou a montagem de uma trilogia sobre o amor. A primeira peça foi “Amores”, de Domingos Oliveira, que estreou em março de 2014, ficando três meses em temporada na Sede das Cias. Em junho do mesmo ano, a companhia começou a apresentar a sua versão itinerante de “Fala comigo como a chuva e me deixa ouvir”, de Tennessee Williams, que ficou quatro meses em cartaz na Casa da Glória, conquistando os prêmios Cesgranrio de Melhor Espetáculo e Melhor Iluminação. Ambas as montagens tiveram sucesso de público e crítica. Com o patrocínio de três anos da Petrobras para pesquisa e criação de um espetáculo inédito, a companhia Os Dezequilibrados encerra a trilogia com Beija-me como nos livros, com direção e dramaturgia de Ivan Sugahara. Após a temporada de 2 meses no CCBB-RJ e a circulação por 22 cidades no Brasil, atingindo quase 100 apresentações, a peça voltou aos palcos cariocas no Teatro Glaucio Gill em janeiro de 2016 e estreia em São Paulo no dia 05 de fevereiro de 2016 no Teatro Cacilda Becker.

“Beija-me como nos livros” procura retratar o relacionamento amoroso e o seu desenvolvimento ao longo dos tempos, por meio de uma linguagem cênica criativa, amparada na expressividade corporal e vocal. A peça tem como premissa pensar o amor não como algo biológico e inerente à natureza humana, conforme costuma ser visto, mas como mais uma invenção do ser humano, sujeita a constantes alterações ao sabor das mudanças na política, na religião e na economia. É fato que a relação afetiva entre duas pessoas se modificou profundamente através dos séculos, até se estabelecer como a entendemos e praticamos nos dias de hoje.

Para estruturar a peça, a companhia selecionou quatro mitos amorosos que, em alguma medida, representam a forma de amar praticada em cada um dos quatro momentos históricos abordados e também os locais em que essas épocas foram mais expressivas: “Tristão e Isolda”, simbolizando o período medieval inglês, “Romeu e Julieta”, o renascimento italiano, “Dom Juan”, o iluminismo francês, e “Werther”, o romantismo alemão. Cenas desses mitos se alternam com uma trama amorosa contemporânea, evidenciando o fato de que o nosso modo de amar é uma construção cultural e o quanto seguimos repetindo padrões pré-estabelecidos.

SERVIÇO

“Beija-me como nos livros”

 

Temporada: de 06 a 28 de fevereiro de 2016 

Horário: de sexta a domingo (sexta, às 21h/ sábado, às 19h e 21h/ domingo, às 19h)

Local: Teatro Cacilda Becker (Rua Tito, 295 – Lapa – São Paulo – SP)

Ingresso: R$10,00 (inteira) / R$5,00 (meia-entrada)

Horário da bilheteria: aberta 1 hora antes do espetáculo

Gênero: Drama

Duração: 75 minutos

Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 14 anos

Desconto de 50% (cinquenta por cento) na compra de até 02 (dois) ingressos para a força de trabalho da Petrobras com crachá e para clientes do cartão Petrobras com o cartão.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa / Foto: Divulgação

Quer receber mais conteúdo? Cadastre-se no nosso Clube de Cultura

DÊ SUA OPINIÃO